PROPLAN

PROPLAN

Pró-reitoria de Planejamento

Administração Central da UEPB debate ações para impulsionar integração entre ensino, pesquisa e extensão

5 de março de 2018

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Reitoria da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) se reuniu na última sexta-feira (2) com parte da equipe administrativa da Instituição para debater ações voltadas ao aprimoramento da integração entre o ensino, a pesquisa e a extensão realizada na Universidade. O encontro contou coma participação do reitor Rangel Junior, do vice-reitor Flávio Romero e dos professores José Pereira da Silva, Socorro Barbosa, Maria José Lima, Eli Brandão, Altamir Souto Dias, Luciano Albino, Eliane Moura e Ricardo Soares, representantes, respectivamente, das pró-reitorias de Extensão, Pós-Graduação e Pesquisa, Graduação, Planejamento, Ensino Médio, Técnico e Educação a Distância, bem como da Chefia de Gabinete.

Segundo o reitor Rangel Junior, a reunião se deu para que haja uma aproximação maior das pró-reitorias acadêmicas, uma vez que elas exercem função primordial na produção do conhecimento e na formação dos alunos da Universidade. Ele ainda apontou que as atividades exercidas pelas pró-reitorias melhoram consideravelmente os resultados dos projetos e ações que são realizadas junto à sociedade.

“Nossa intenção é aproximar ainda mais as pró-reitorias acadêmicas, no sentido de produzir e sintetizar conhecimento, para que possamos melhorar o trabalho que fazemos no cotidiano, aprofundar a qualidade da formação que oferecemos, buscar criar condições para que o Ensino, a Pesquisa e a Extensão efetivamente sejam embrincados de modo que o resultado da Extensão seja o reflexo daquilo que se produz em pesquisa, e que o estudante possa ter essa experiência daquilo que é o Ensino. Também vamos buscar investir ainda mais na formação de professores, criar alternativas para fortalecer todas as áreas, mas, em última instância, o objetivo é fortalecer o vínculo social da Universidade”, disse o reitor.

O vice-reitor Flávio Romero complementou a afirmação do reitor, destacando que a partir de agora todos os envolvidos terão foco em preparar um levantamento de dados do que é produzido na Universidade nessas três áreas, para que a associação entre Pesquisa, Ensino e Extensão esteja ainda mais próxima. “O que nós estamos fazendo é rediscutindo a missão institucional. Uma universidade que é pública e de um Estado do ponto de vista econômico periférico, tem que dar respostar mais efetivas para a sociedade. O que pretendemos é que a pós-graduação, o ensino e a extensão dialoguem através de ações que podem ser induzidas pela Instituição e que reverberem na sociedade”, frisou.

Sobre as ações desenvolvidas pela Pós-Graduação, a pró-reitora Maria José de Lima destacou que será feito um estudo de relação entre os programas de pesquisa e os projetos de PIBIC, para que haja uma sincronia profunda entre essas ações desenvolvida na Instituição, dos docentes, tanto no que diz respeito ao PIBIC como também dos Programas de Pós-Graduação, e ver a relação desses projetos com os projetos de extensão. “A gente tem um avaliador na Pós-Graduação que analisa a inserção social daquele programa na região onde ele atua. Vamos ver qual é o retorno que esses programas estão dando, tanto na formação de recursos humanos, como no conhecimento gerado para a sociedade”, acrescentou a professora.

No que diz respeito à Educação a Distância, que está relacionada ao Ensino, a pró-reitora Eliane Moura disse que com a realização desse incremento nessas pró-reitorias, a intervenção que a UEPB realiza na sociedade será ainda maior. “A proposta é que haja um redimensionamento das ações do que fazemos enquanto pró-reitorias. No caso da EaD, que está ligada ao Ensino, vamos ver como estamos atuando em reposta às necessidades da sociedade. A Universidade precisa buscar soluções para os problemas sociais. Para isso é preciso que ela faça intervenção. E para que haja um percurso de melhor qualidade é preciso ter maior alcance, como o de pesquisar de acordo com a necessidade da sociedade”, apontou a professora.

Já sobre o impacto das ações que começam a ser desenvolvidas em sala de aula, o pró-reitor de Graduação, professor Eli Brandão, fez uma reflexão sobre o que chamou de processo que retroalimenta as propostas de formação presentes na UEPB. “A pesquisa feita dentro e fora da Universidade é refletida em sala de aula. E essa pesquisa precisa se tornar um processo de intervenção na sociedade. Os alunos que estão na classe, refletindo esse conhecimento, vão para a sociedade partilhar esses conhecimentos, onde a prática também impacta novos conhecimentos que retornam para a pesquisa e que possibilitam refazer um projeto de pesquisa. É um processo que retroalimenta um ao outro, fazendo com que o Ensino seja cada vez mais reflexivo e renovado”, argumentou.

No que diz respeito à contribuição da Extensão nesse processo, professor José Pereira, pró-reitor de Extensão, apontou que este é um constante desafio de uma universidade que sempre se apresenta como alternativa para aproximar suas experiências desenvolvidas nessas três grandes áreas de atuação. “A Extensão já tem dados consolidados na UEPB, como em quantos municípios está presente, o que faz, mas é preciso ampliar essa proximidade que já existe com a Pesquisa também com o Ensino. Que a UEPB possa ainda mais aproximar a sua missão que é chegar mais perto da sociedade, das pessoas que precisam dos seus serviços e ter acesso a ela. Vamos discutir, traçar metas e elaborar planos para que seja mais efetiva essa indissociabilidade entre o Ensino, Pesquisa e Extensão”, finalizou.

Texto e fotos: Givaldo Cavalcanti