PROINFRA

PROINFRA

Pró-reitoria de Infra estrutura

Universidade Estadual da Paraíba inaugura novos espaços nos câmpus de Patos e Catolé do Rocha

29 de agosto de 2017

Este slideshow necessita de JavaScript.

O processo de melhorias em diversos setores da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) continua com a construção de novos espaços, melhoramento em outros e a certeza de que o investimento no desenvolvimento dos câmpus da Instituição trará qualidade no convívio e ensino de toda a comunidade acadêmica. Dessa forma, nesta segunda-feira (28), a Administração Central inaugurou o Auditório do Centro de Ciências Exatas e Sociais Aplicadas (CCEA), no Câmpus VII, instalado na cidade de Patos, e a passarela coberta que liga a Escola Agrotécnica do Cajueiro ao Departamento de Letras e Humanidade do Câmpus IV, em Catolé do Rocha.

Além do auditório, que leva o nome do economista Celso Furtado, o Câmpus VII ainda foi contemplado com a construção de cinco novas salas de aula que oferecem melhor estrutura física aos alunos e amplia as possibilidades de atividades acadêmicas para os discentes dos cursos. De acordo com o professor Adriano Homero, diretor do CCEA, o novo local é uma conquista de todos que compõem o Câmpus, uma vez que ele oferece condições para a realização de eventos e atividades corriqueiras dos cursos ofertados pelo Centro.

“Conseguimos construir um espaço que tem capacidade para abrigar 320 pessoas sentadas. O ambiente é todo climatizado. Dessa forma, acredito que a partir de agora temos um local muito apropriado para realizarmos eventos acadêmicos, bem como outras atividades. Antes de começarmos a construção, consultamos os alunos para saber se eles aprovavam essa ideia de termos um auditório e cinco salas e a resposta deles foi totalmente positiva. Assim, o que está sendo entregue hoje é uma conquista coletiva, por isso todos que fazem o Câmpus VII estão de parabéns”, afirmou Adriano.

O reitor da UEPB, professor Rangel Junior, destacou a vontade da comunidade do Câmpus VII em conquistar um espaço desse gênero, parabenizou a direção do Centro pela determinação e relembrou as dificuldades que sempre foram vencidas ao longo dos 11 anos de existência do CCEA. “Tudo que temos aqui no Câmpus VII vem de um resultado de muita luta. Ao virmos para este local, lembro da necessidade de instalação de ar-condicionado nas salas, as melhoras que foram feitas na área da cantina e de convivência e outros locais. E, hoje, esse auditório é resultado disso. Uma alternativa construída dentro do que podemos fazer, mas com as melhores condições possíveis. O importante é poder compartilhar, buscando alternativas com criatividade, diálogo e projetos que possam servir para melhorar ainda mais a formação de nossos alunos”, disse o reitor.

Participaram do momento de descerramento da placa do Auditório Celso Furtado, o reitor da UEPB, professor Rangel Junior; o vice-reitor da UEPB, professor Flávio Romero Guimarães; o diretor do CCEA, professor Adriano Homero; e o vice-prefeito de Patos, Bonifácio Rocha. Já para o descerramento da fita, além das autoridades já citadas, também foram convidados o diretor adjunto do CCEA, professor Odilon Avelino; e Santiago Jácome, aluno do curso de Bacharelado em Administração do CCEA.

Após a inauguração do Auditório Celso Furtado e das cinco novas salas de aula do Centro de Ciências Exatas e Sociais Aplicadas, o professor Adriano Homero realizou a entrega de placas para homenagear pessoas que deram sua contribuição para que esses novos espaços pudessem se tornar realidade. Além do reitor e do vice-reitor da UEPB, da pró-reitora adjunta de Infraestrutura, professora Cheyenne Ribeiro, e da coordenadora do Cerimonial da UEPB, Mariene Braz Cavalcante, foram lembrados servidores técnicos administrativos do Câmpus VII e profissionais que trabalharam na obra.

Receberam a homenagem as seguintes pessoas: Bismark de Medeiros, Vanderli Silva, José Gomes, Francinildo Ferreira, Ayslan Kelvin, Catarina Medeiros, Rogério Henrique, Moisés Montinegro, Dinaihara Torres, Mariene Braz Cavalcante, Cheyenne Ribeiro, Flávio Romero e Rangel Junior.

Câmpus IV ganha passarela coberta para interligar Escola Agrícola e Departamento

Este slideshow necessita de JavaScript.

As características climáticas da cidade de Catolé do Rocha, situada no Sertão da Paraíba, tornavam a locomoção de estudantes, professores, servidores e toda a comunidade do Câmpus IV bastante difícil. A alta temperatura era um obstáculo a mais para todos no deslocamento entre as dependências da Escola Agrotécnica do Cajueiro e o Centro de Ciências Humanas e Agrárias (CCHA). Mas isso, agora, faz parte do passado, uma vez que foi inaugurada a passarela coberta que interliga as áreas de aulas do Câmpus.

A estrutura baseia-se numa área de 72 metros com sombra, facilitando a ida e vinda principalmente de estudantes e professores. Segundo o diretor do CCHA, professor Edivan Nunes, essa passarela integrou ainda mais a Instituição, além de trazer os benefícios próprios no que diz respeito à proteção ao sol que todos passam a ter a partir de então.

“Essa é a maior bem feitoria que poderíamos fazer nesse momento, já que a intenção é melhorar o conforto de todos. Foi muito positivo pelas questões climáticas e vamos continuar trabalhando para melhorar o conforto. Estamos passando por um momento de limitações financeiras, mas não deixaremos de fazer o melhor e não vamos desistir de tornar o Câmpus IV melhor para os estudantes, professores e servidores”, destacou o professor Edivan.

O reitor da UEPB, professor Rangel Junior, parabenizou a todos pela conquista e afirmou que outras obras ainda serão realizadas no Câmpus. “Com certeza ainda temos muito a fazer, uma vez que o projeto inicial era, para além dessa passarela, outros espaços que vão melhorar ainda mais as atividades desempenhadas tanto na Escola Agrotécnica como também nos departamentos de Letras e Agrárias”, pontuou o reitor.

Foram convidados para o descerramento da placa da passarela o reitor da UEPB, professor Rangel Junior; o vice-reitor, professor Flávio Romero Guimarães; o diretor do CCHA, professor Edivan Nunes; e a diretora adjunta da Escola Agrotécnica do Cajueiro, Maria do Socorro de Caldas Pinto. Já para o descerramento da fita inaugural, além das autoridades citadas também participaram o diretor adjunto do CCHA, professor Rômulo César de Araújo Lima; e o estudante Henrique Cavalcante Diniz, aluno do 2º ano Médio da Escola do Cajueiro.

Texto: Givaldo Cavalcanti
Fotos: Hipólito Lucena e Luciellen Lima