PROINFRA

PROINFRA

Pró-reitoria de Infra estrutura

Projeto Ginástica Laboral leva saúde e qualidade de vida para servidores da Universidade Estadual da Paraíba

2 de agosto de 2016

Este slideshow necessita de JavaScript.

Um projeto de extensão desenvolvido por professores e estudantes do Departamento de Educação Física da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) tem levado saúde e qualidade de vida aos servidores da Instituição. Intitulado “Ginástica Laboral e Treinamentos Personalizados”, o projeto coordenado pelos professores José Pereira do Nascimento Filho e Regimênia Maria Braga de Carvalho iniciou recentemente suas ações junto aos servidores da Pró-Reitoria de Infraestrutura (PROINFRA).

O grupo composto por três estudantes bolsistas de Educação Física, orientados pela professora Regimênia, tem aplicado massagens relaxantes nos participantes, além de realizar exercícios físicos de fortalecimento muscular e alongamentos que visam estimular a autoestima. Os encontros acontecem duas vezes por semana, nas segundas e sextas, das 7h15 às 7h45, e são comandados pelos estudantes Ana Carolina Costa Duarte do Rêgo, Douglas Felipe Freire Alves e Mateus Arruda Queiroz.

O projeto tem duração de dois anos e deve ser desenvolvido em vários ambientes do Câmpus de Bodocongó. Depois da PROINFRA, os alunos do DEF realizarão os mesmos exercícios na Central de Integração Acadêmica, Reitoria e Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). A ideia é deixar em cada ambiente um agende multiplicador, que é um estudante de Educação Física que ficará responsável para acompanhar as atividades durante todo o ano.

A professora Regimênia explicou que a Ginástica Laboral visa, principalmente, trabalhar os músculos das pessoas para evitar lesões durante o trabalho. Segundo ela, esses músculos não são trabalhados nas academias nem nas caminhadas. Criado em setembro de 2015, o projeto tem como objetivo auxiliar as relações entre as práticas de atividades laborais e ginástica laboral sob a ótica contemporânea empresarial, além de proporcionar melhorias na qualidade de vida dos funcionários e colaboradores dos setores da Universidade e de empresas do ramo comercial e industrial.

“O fundamento do projeto é promover a discussão sobre as ações de atividades laborais tanto na aplicação quanto na criação dessas ações. Para tanto, é necessário conhecer a dinâmica empresarial na realização de uma aplicação dessas atividades para os indivíduos que compõem essas entidades nos desenvolvimentos de seus trabalhos”, explicou o professor José Pereira, acrescentando que no projeto também são trabalhadas questões nutricionais e ergonômicas, juntamente com outros profissionais. A pretensão do DEF é ampliar o projeto até o final do ano, abrindo espaço para pelo menos mais seis estudantes.

Texto: Severino Lopes
Fotos: Álvaro Luiz