PROINFRA

PROINFRA

Pró-reitoria de Infra estrutura

Escola Agrícola Assis Chateaubriand celebra 55 anos de fundação incentivando a agricultura familiar

24 de outubro de 2017

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fundada a partir do espírito visionário de um grupo de empresários do setor rural e posteriormente integrada à então Universidade Regional do Nordeste (URNE), transformada há 30 anos em Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), a Escola Agrícola Assis Chateaubriand (EAAC) está completando 55 anos de existência.

A Escola, que funciona na estrutura do Centro de Ciências Agrárias e Ambientais (CCAA) do Câmpus II, em Lagoa Seca, tem dado relevante contribuição para impulsionar o desenvolvimento do Brejo paraibano, estimulando a agricultura familiar, especialmente com formação de qualidade, onde 30% dos seus estudantes são filhos de agricultores oriundos de mais de 15 municípios que integram o Compartimento da Borborema.

Para celebrar o aniversário da EAAC, uma série de atividades está sendo desenvolvida no Câmpus II, tendo as comemorações iniciais ocorrido na manhã desta terça-feira (24). Homenagens a professores e funcionários antigos, além de entrega de melhorias físicas e estruturais marcaram a passagem do aniversário histórico.

Foram inaugurados o Laboratório de Solos, o Monumento EAAC, a Praça de Integração, além de feita a entrega de toda estrutura dos setores de Cunicultura, Corturnicultura, Bovinocultura e Caprinovinocultura. A Escola não era dotada desses equipamentos que, agora, passarão a ser usados pelos estudantes dos cursos técnicos em Agropecuária e Agroindústria e do Bacharelado em Agroecologia.

A solenidade comemorativa ocorreu foi presidida pelo reitor em exercício da UEPB, professor Flávio Romero Guimarães, e reuniu professores, estudantes, funcionários e pró-reitores da UEPB, agricultores da região, autoridades políticas, ex-alunos da turma pioneira, entre outras personalidades.

O diretor da Escola Agrícola, professor José Félix Neto, fez um discurso memorial, destacando a história da EACC, desde a sua origem, em 1962, até os dias atuais. Ele fez referência aos desafios e conquistas da unidade, que começou como Ginásio Agrícola, em Campina Grande, e posteriormente virou Colégio até se transformar na Escola Agrícola Assis Chateaubriand da UEPB.

José Félix frisou que são 55 anos de história, de muita luta e qualidade de ensino que só a UEPB proporciona, resultando na formação de profissionais com alta qualificação para o mercado de trabalho. O diretor fez questão de destacar o esforço da Administração Central da Universidade em criar as condições, mesmo em tempos de crise, para assegurar o bom funcionamento da Escola.

Ele destacou os inúmeros projetos que a Escola desenvolve e que geram conhecimento e tecnologia para impulsionar o desenvolvimento da região, a exemplo da utilização de alguns compostos vegetais na formulação de ração, a tecnologia empregada no dessalinizador solar, entre outros.

O reitor em exercício, professor Flávio Romero Guimarães, ressaltou em seu discurso que o momento de celebração dos 55 anos da Escola Agrícola foi marcante para a história da UEPB. Flávio também fez um resgate histórico e memorial da unidade, frisando que “os 55 anos de existência dessa Escola, continua sendo sinônimo de resistência”.

Flávio enfatizou que a partir da Escola Agrícola germinou-se o CCAA e, daí em diante, surgiu a necessidade de se implantar um curso de graduação. Ele lembrou que o momento atual está sendo marcado pela discussão em torno da identidade da EAAC. “O momento que se coloca hoje para discussão democrática é qual será o cenário que precisamos construir para, ao mesmo tempo, consolidar o Centro e fortalecer as ações de graduação, para que a gente possa desenvolver ações no sentido de instituir pós-graduação nesse Centro, mas também precisamos resgatar a memória da Escola, para que ela possa ter autonomia institucional”, salientou.

O diretor do Centro de Ciências Agrárias e Ambientais, professor Suenildo Oliveira Costa, disse que celebrar os 55 anos da Escola Agrícola é um momento de júbilo. Ele ressaltou que o Câmpus II tem propiciado aos filhos de agricultores obterem conhecimentos, técnicas e tecnologias que ajudam a fortalecer a agricultura da região. “Estamos felizes em participar desse momento. A UEPB está de parabéns por acreditar no trabalho que é realizado aqui no Câmpus II”, ressaltou.

O prefeito de Lagoa Seca, Fábio Ramalho, também parabenizou a Escola pela data festiva e enalteceu o papel que a UEPB realiza no desenvolvimento da Paraíba. “Sinto-me honrado em fazer parte desse momento. Essa história é mais antiga do que Lagoa Seca, o que mostra a importância que ela tem para o crescimento da Paraíba e da nossa cidade”, comentou, acrescentando que a população precisa conhecer e valorizar cada vez mais as ações desenvolvidas pelo Câmpus II da UEPB.

Após os discursos, a direção da Escola prestou homenagens a alguns ex-professores e funcionários do setor. Também foi formalizada a assinatura de doação e comodato de animais, por parte do diretor da Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba (Emepa), Nivaldo Guimarães, para a Escola Agrícola.

Agrotec

Ainda dentro das comemorações dos 55 anos da EACC será realizada a partir desta quarta-feira (25) a Agrotec 2017, que consiste em uma mostra pedagógica da Escola Assis Chateaubriand. Para realizar o evento, a UEPB conta com vários parceiros, a exemplo da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba (Emepa) e Prefeitura Municipal de Lagoa Seca.

O evento contará com exposição de máquinas e equipamentos agrícolas, além de algumas tecnologias desenvolvidas pelas empresas parceiras, bem como a realização de palestras e minicursos. No primeiro dia do evento, que tem como tema “Jovem Empreendedor Rural”, serão ministradas as palestras “O Jovem Empreender”, pelo consultor do Sebrae, Roberto Braga de Oliveira, e “Apicultura e Empreendedorismo”, que terá como palestrante o pesquisador do Emepa, Leon Denis Batista do Carmo.

Texto: Severino Lopes
Fotos: Paizinha Lemos