PROEX

PROEX

Pró-Reitoria de Extensão

Vice-reitor da UFRPE visita UEPB para conhecer experiência exitosa da Universidade Aberta à Maturidade

9 de agosto de 2019

A Universidade Aberta à Maturidade (UAMA), curso especial da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) voltado para os idosos, completa uma década de atividade este ano e vem servindo de modelo para outras instituições que buscam desenvolver trabalhos voltados a promover maior qualidade de vida para a população na terceira idade. Nesta sexta-feira (9), o vice-reitor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), professor Marcelo Carneiro, junto com a coordenadora do Programa de Atenção Integral a Saúde do Idoso na UFRPE, professora Nayana Pinheiro, visitou a UEPB para conhecer a experiência da UAMA, com o objetivo de implementar projeto semelhante na instituição pernambucana.

Os docentes da UFRPE foram recebidos pelo reitor Rangel Junior e pelo coordenador da UAMA, professor Manoel Freire, no Gabinete da Reitoria, no Câmpus de Bodocongó, em Campina Grande. O encontro contou ainda com a presença das professoras da Universidade Aberta à Maturidade, Glauce Jácome, Vitória Quirino de Araújo e Ana Luiza.

Rangel Junior lembrou que a UAMA começou tímida, com apenas 50 alunos. Ele salientou que, inicialmente, muitos não acreditam no êxito do projeto, mas, devido a forma como a iniciativa foi pensada, ela cresceu e hoje abriga dezenas de idosos que se sentem bem na UEPB. Como psicólogo, Rangel Junior destacou a importância deste trabalho, que ajuda a elevar a autoestima dos idosos e mostra que é possível envelhecer bem, feliz e saudável.

O professor Marcelo Carneiro parabenizou a UEPB pelo trabalho da UAMA e disse que ficou encantado com a iniciativa, principalmente pelo entusiasmo e o brilho dos olhos dos alunos do projeto. Ele também elogiou o formato do programa, a composição da grade curricular, principalmente com a experiência de os idosos poderem continuar compartilhando suas experiências com o grupo de vivência, após o curso, o que ele considerou riquíssimo.

Marcelo revelou que a UFRPE já implantou um projeto voltado para a saúde do idoso, mas pretende institucionalizar a iniciativa de forma mais ampla, a partir de 2020, e, para isso, veio conhecer a UAMA por ser um dos mais bem sucedidos projetos voltados para os idosos em funcionamento no Brasil. “Viemos beber um pouco do conhecimento da UAMA para poder implementarmos na UFRPE”, frisou. Inicialmente, professor Marcelo conheceu o funcionamento da Universidade Aberta à Maturidade e a sede do programa, tendo inclusive participado da aula inaugural da nova turma do Câmpus I.

Coordenador da UAMA, professor Manoel Freire considerou importante o fato de o projeto da UEPB servir de referência para outras universidades do país. “Isso mostra o quanto nós estamos fazendo um trabalho de qualidade na parte de política e educação para a pessoa idosa, o que significa inclusão. Então, isso para a UAMA e para a UEPB é muito importante”, destacou.

Considerada uma iniciativa pioneira no Brasil com essas características metodológicas, a UAMA foi idealizada tomando como referência uma ação com aspectos semelhantes, desenvolvida na Universidade de Granada, na Espanha, com o propósito de oferecer a aquisição do conhecimento em diferentes áreas, a socialização e troca de conhecimento intergeracionais, constituindo-se em uma proposta que possibilita a inclusão social do idoso.

Desde 2009, já são 10 turmas concluintes da UAMA que, juntas, somam mais de 700 estudantes nos câmpus de Campina Grande, Lagoa Seca e Guarabira, buscando qualidade de vida através de atividades educacionais, sociais, culturais e de convívio. Atualmente, quatro turmas estão em funcionamento, sendo três em Campina Grande, e uma em Lagoa Seca, além do Grupo de Convivência, que reúne ex-alunos do programa. A aula inaugural da nova turma, que funcionará no turno da tarde, aconteceu nesta sexta-feira (9). A nova turma conta com 55 alunos. A UAMA tem como finalidade contribuir com a melhoria da qualidade de vida na terceira idade, por meio de ações de cunho educativo e cultural.

Texto: Severino Lopes
Fotos: Tatiana Brandão e Divulgação UAMA