PROCULT

PROCULT

Pró-Reitoria de Cultura

Jornada de palestras e diálogos debaterá conceitos, sustentabilidade e territórios do forró genuíno

26 de setembro de 2018

No próximo sábado (29), na Vila do Artesão, em Campina Grande, a partir das 8h, será iniciada uma jornada de palestras e diálogos tendo o forró genuíno como ponto de partida. O evento acontece graças a uma parceria entre a Pró-Reitoria de Cultura (Procult) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), o Fórum do Forró de Raiz e a Rota do Forró. A iniciativa almeja aprofundar uma série de questões envolvendo o gênero, abarcando temas como a atualidade e o futuro desse ritmo nordestino, bem como a indústria que o circunda. A entrada é franca.

As atividades se estenderão por todo o dia e percorrerão três eixos temáticos, “Aspectos Conceituais do Forró”, “Sustentabilidade”, abordando o Forró como conteúdo pedagógico e as questões jurídicas presentes na contratação de artistas, além do tópico “Territórios e Comunidades”. Na programação figuram palestras com o reitor da UEPB, Rangel Junior; o pró-reitor de Cultura, José Cristóvão de Andrade; o professor Léo Meira e o poeta e músico Carlos Perê, entre outros. Diversas apresentações artísticas estão previstas, contando, inclusive, com docentes do Centro Artístico Cultural (CAC) da Instituição, como Edglei Miguel, João Batista e Luizinho Calixto. A jornada também terá a participação do músico Alfranque Amaral da Silva, de uma das curadoras da área de Cordel do Museu de Arte Popular da Paraíba (MAPP), Joseilda Diniz e do cantor e compositor Geovane Junior.

Principal articuladora do Fórum Nacional do Forró de Raiz, a presidente da Associação Cultural Balaio Nordeste, Joana Alves, estará na oportunidade. A paraibana foi uma das responsáveis por liderar o momento que culminou com o registro da candidatura do forró a Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil, realizado em maio deste ano, com a entrega da carta do Fórum Nacional ao Ministério da Cultura (MinC).

Joana destacou que esse reconhecimento, em análise pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico e Nacional (Iphan), é de suma importância para a cadeia produtiva do forró em todo o país. “Temos trabalhado bastante para conquistar esse objetivo e a recepção aos nossos anseios vem sendo positiva. Os maiores entraves para isso se referem a pouca valorização do forró por parte dos políticos, produtores e até mesmo pelos próprios artistas, pois usualmente a preocupação é com o lucro, com o capital e não com a qualidade do que se faz, com a contribuição que estão dando ao gênero. É um processo lento, mas seguimos acreditando nele e buscando-o”, explicou.

A coordenação do evento é feita pela Rota do Forró, Fórum do Forró de Raiz, Procult/UEPB, Associação Balaio Nordeste e pela Consultoria de Cultura (Literatura) do MAPP/UEPB. A jornada tem a colaboração da Vila do Artesão, do Box do Zuca e da Agência Municipal de Desenvolvimento (AMDE/PMCG), por meio de seu presidente, Nelson Gomes Filho. Outras informações podem ser adquiridas pelo telefone (83) 3315-3446. Confira AQUI a programação completa.