PROCULT

PROCULT

Pró-Reitoria de Cultura

Centro Artístico da UEPB avalia positivamente 2020 mesmo com suspensão dos eventos de fim de ano

29 de janeiro de 2021

O final de 2020, para os quase mil estudantes do Centro Artístico Cultural (CAC), da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Campina Grande, foi mais, digamos, desanimado. Isso porque o referido período é marcado por uma intensa movimentação no Centro, pois ocorrem os eventos de culminância das atividades desenvolvidas ao longo do ano. Assim, por vários dias, o CAC abre suas portas à toda população interessada em uma grande mostra gratuita de Arte, com teatro, música, dança e pintura. Contudo, devido à pandemia da Covid-19, em março o Centro precisou cancelar as práticas presenciais e embora as aulas tenham continuado, de modo online, esses eventos não puderam ser feitos. Malgrado essas dificuldades, a diretora do CAC, Patrícia Lucena, avaliou 2020 como um ano positivo, tendo em vista a dedicação dos professores para que não fosse interrompido o aprendizado dos alunos.

Ela destacou que a Pró-Reitoria de Cultura (Procult) da UEPB e o Centro não pouparam esforços no sentido de prosseguir com as ações, em um momento em que, aliás, elas eram mais do que necessárias, tendo em vista o isolamento social e os altos níveis de ansiedade provocados pela crise sanitária. “Foram muitas vidas ceifadas brutalmente, um sofrimento enorme para inúmeras famílias do país. Nossa esperança é que haja um porvir melhor, especialmente com a vacinação. Parabenizo a equipe que integra o CAC, pois continuaram fazendo seu trabalho com todo amor, trazendo mais leveza e conhecimento à quarentena dos estudantes”, afirmou.

Professor do Curso de Canto Coral, Sueudes Porto explicou que houve uma boa aceitação dos alunos no que se refere às plataformas utilizadas em suas aulas, como o Google Meet. As preleções do docente estavam acontecendo às terças e quintas-feiras no horário usual de quando eram presenciais, ou seja das 18 às 20h. Semelhante ao formato “ao vivo”, o Curso procedeu, através das videoaulas, com homenagens às mães, aos pais, à independência do Brasil e ao aniversário de Campina, por exemplo, aproveitando as efemérides para a transmissão de conteúdo.

“Tivemos aulas duas vezes na semana para cada turma, com igual planejamento no que se relaciona às atividades presenciais e integralmente. Por conta de espaço e de conexão com a internet, alguns alunos tiveram dificuldades, mas na medida do possível alcançamos o que estava programado”, enfatizou o professor do curso de ballet da UEPB, Jefferson Freitas. Estudos coreográficos de repertório de dança clássica e contemporânea, e ensaios de coreografias que foram demonstradas antes da pandemia, incluem-se entre os tópicos abordados.

Já de setembro a novembro, o Balé da UEPB efetuou um curso novo, também online. De caráter preparatório, ele teve como objetivo instruir crianças que desejam participar da audição do ballet em 2021 e serem alunas do CAC. O curso dispunha de aulas uma vez por semana e contava com uma turma de 18 infantes.

Alternativa

Mesmo com a impossibilidade de realizar as apresentações de final de ano à maneira habitual, os professores do CAC buscaram uma alternativa viável para unir os discentes e incentivá-los a colocar em prática os saberes recebidos em 2020.

O Curso de Teatro, por exemplo, fez uma peça e uma leitura dramatizada, totalmente via internet. A primeira, “A Eleição”, deu-se por meio do Núcleo de Pesquisa e Experimentação Teatral. A segunda, “O Diabo Religioso”, é oriunda do Curso de Formação Básica de Ator. Ambas foram escritas por Lourdes Ramalho.

“A Eleição” trata de um processo eleitoral numa cidade interiorana. Compra de votos e chantagem de políticos dão a tônica da peça, que, à moda da dramaturgia de Lourdes, é bem caricatural e extremamente atual. A operação de gravação foi efetuada por Luzildo Queiroz, através da empresa Sonarte, e no elenco estavam Washington Farias, Goreth Leitão, Markos Mota, Deyvson Gomes, Sânzia Romão, Juscelino Regis, Beti Rodrigues, Samara Santos, Joh Albuquerque, Flávia Monteiro e Cynthia Anjos.

Já “O Diabo Religioso” é direcionada ao público infanto-juvenil e narra a história do diabo pai que, do alto de seu poder, envia seus dois filhos, Belzebu e Capiroto, em missão na terra para arrebanhar seguidores. Entre diabruras e trapalhadas, os dois vivem uma epopeia jamais imaginada. Ellen Leal, Maxuell Barbosa, Beto Rocha, Cynthia Feitosa, Karina Ferreira, Fabiana Melo, Gissele Costa e Caio Vinícius Domingos compuseram o espetáculo. A montagem de vídeos ficou a cargo de Fabiana Melo.

Professor do Curso de Teatro, Chico Oliveira revelou que a gravação dos vídeos foi feita pelos próprios alunos. “Foram meses de ensaio e muitos dias de gravação e cada um na sua casa, com dia e horário marcado, fez esse trabalho, cena por cena. Antes da pandemia a gente vinha pesquisando e estudando Lourdes, porque pretendíamos fazer uma homenagem a ela em razão de seu centenário. Importante acrescentar que mesmo com o isolamento social nós conseguimos, junto com a Procult e a UEPB, terminar o ano com esses resultados, que na minha opinião foram muito satisfatórios, além das nossas expectativas”, finalizou.

O Curso de Balé também organizou uma noite onde as crianças exibiram para os pais e amigos coreografias simples e de estilo livre, que foram idealizadas pelos próprios alunos. A apresentação se deu pelo Google Meet no final de dezembro.

Atualmente constituem o corpo docente do CAC, João Batista, Edglei Miguel, Chico Oliveira, Caio César, Sueudes Porto, Waleska Rocha, Roberto Almeida, Erivan Ferreira, Brunno Giovanni, Lili Brasileiro, Jefferson Freitas, Julierme Lúcio, Paulo Sérgio Ferreira e Luizinho Calixto.

Texto: Oziella Inocêncio